06 outubro 2017
Nicoli Vieira

Review do Filme #06: O Círculo

Olá, gente! Hoje trago o review de um filme que achei interessante por trazer uma crítica à nossa sociedade tão conectada ultimamente, o nome do filme é “O Círculo”, protagonizado pela Emma Watson.
“Apenas as mentiras nos trazem problemas. As coisas que escondemos.”
O filme nos traz como protagonista a Mae Holland (Emma Watson), ela vive em uma pacata cidade, trabalhando em um emprego que não gosta. Sua vida e de sua família é bem simples e com muitos problemas financeiros, além disso, seu pai sofre de esclerose múltipla. Mae sempre está à procura de um emprego melhor, até que sua amiga Anne (Karen Gillan), consegue uma entrevista de emprego para ela em O Círculo. O Círculo é a maior rede tecnológica existente, além de unificar todas as redes sociais em apenas um sistema, e eles também possuem mini câmeras para filmarem todos os passos das pessoas.

Mae passa na entrevista e logo é apresentada ao campus em que irá trabalhar, ela começa trabalhando na EC (Experiência do Cliente), onde ela deve manter metas de satisfação dos clientes d'O Círculo, e suas médias sempre se aproximavam de 100%, tornando-a valiosa para a empresa. Já no início, as pessoas começam a questionar Mae do porquê ela não ser ativa nas redes sociais da empresa e ter passado os fins de semana em casa ao invés de estar comparecendo nas programações d'O Círculo, a partir desse momento ela já se vê totalmente envolvida com a empresa deixando sua família e amigos de lado.

Mae deixa de visitar seus pais e de manter contato com seu amigo de infância, a qual ela prejudica sem querer através dessa rede social. Querendo se distrair, Mae vai andar de caiaque sozinha à noite, porém ela sofre um acidente, mas é salva por uma câmera d'O Círculo que havia no lugar. Depois desse incidente, a vida dela muda completamente e ela passa a levar uma mini câmera consigo, monitorando cada movimento dela, e a vida da garota passa ser transmitida 24 horas por dia. A partir desse momento a vida dela vira de cabeça para baixo, e a vida de todos que conviviam com ela também muda completamente, trazendo apenas consequências para cada um dos personagens.
“Cada passo, cada respiração, tudo isso está armazenado. Eles podem usar isso como bem entenderem. Estamos sendo estudados. ”          
Bom gente, a história em si tem alguns momentos interessantes, mas não foi uma história que prendeu minha atenção e que eu fiquei ansiosa para assistir do início ao fim. Deu para perceber que esse filme (aliás, há um livro dessa história), mostra críticas do início ao fim sobre a nossa sociedade atual, que está tão conectada com o mundo virtual que se esquece de se conectar com o mundo real.

Não é um filme que eu recomendaria para todos, mas se você tiver sem fazer nada é uma boa pedida, afinal, consegue retirar vários aprendizados por ele. E sobre a personagem da Emma, devo confessar que quase tive vontade de entrar na televisão e bater nela, porque ela foi muito ingênua, e só no final que percebeu isso, pena que foi tarde demais.

Comentários via Facebook

1 COMENTÁRIOS:

  1. Nicoli,essa é a primeira vez que leio algo sobre o filme.
    E nos faz pensar realmente onde vamos parar com tanta tecnologia a nossa volta.
    Há pessoas que nem conseguem mais conversar pessoalmente,ou se expressar devidamente. Apenas se comunicam bem através do mundo virtual,como nos contou.

    Achei um filme diferente,inclusive dos que assisto,mas talvez eu assista e goste.

    Dicas diferentes são sempre bem vindas! :)

    ResponderExcluir