23 outubro 2017
Nicoli Vieira

Resenha do Livro #282: O Caçador de Pipas - Khaled Hosseini

Título: O Caçador de Pipas - Khaled Hosseini
Autor: Khaled Hosseini
Editora: Nova Fronteira
ISBN:  9788520917671
Ano: 2005
Páginas: 365
Onde Comprar: Amazon | Livraria Saraiva

Classificação:


Oi, gente! Hoje trago uma resenha de um livro que toca meu coração de uma maneira tão intensa que sempre quando lembro dele quase desce uma lágrima. Estou falando de “O Caçador de Pipas”, publicado aqui no Brasil pela Editora Nova Fronteira.
“...descobri que não é verdade o que dizem a respeito do passado, essa história de que podemos enterrá-lo. Porque, de um jeito ou de outro, ele sempre consegue escapar. ”    
O Caçador de Pipas conta a história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos que vivem vidas diferentes no Afeganistão na década de 70. Amir é rico e vive em busca da aprovação de seu pai, por sua vez Hassan é um hazara que é filho do empregado que trabalha na casa do pai de Amir, Ali, que não sabe ler e nem escrever.

Os dois garotos sempre viveram juntos, eles eram amigos inseparáveis, Hassan fazia de tudo para seu amigo Amir. Sabe aquele amigo que se você precisar de um rim, ele vai lá e dá o dele? É o Hassan, e essa amizade que os dois tem é uma das coisas mais lindas nesse livro. Bom, como nem tudo são flores, na cidade em que eles moravam, uma vez por ano havia uma competição de pipas, então eles resolveram competir, e o Hassan vence a competição, cortando a pipa do seu adversário, e como um troféu para Amir, ele decide ir atrás da pipa, mas desaparece. Amir preocupado com o amigo vai atrás dele, e descobre que ele foi encurralado pelos valentões da cidade, e que esses meninos estavam estuprando o Hassan, e o que o Amir faz? Isso mesmo, NADA, ele fica estático vendo o amigo sofrer o abuso. Hassan, como um amigo leal, sofre abusos de todas as formas mas leva a pipa para Amir como forma de gratidão pela amizade, mas a partir desse momento a amizade entre eles não continua a mesma.

Atormentado pela culpa, Amir planeja um suposto roubo para culpar Hassan. O pai de Amir, mesmo sabendo sobre o “roubo causado pelo Hassan”, pede para que pai e filho permaneçam na casa, mas Ali e Hassan assumem a culpa e decidem ir embora.

Devido a guerra contra a Rússia, Amir e o pai resolvem fugir para os EUA, onde passam ter uma vida simples em subúrbio. Anos depois, já casado, Amir recebe uma ligação que faz com que a vida de Amir tenha reviravoltas, e se ele aceitar o que essa ligação diz ele pode voltar ao passado e consertar os erros que cometeu. Amir terá uma chance de compensar todo o mal que causou.
“Pode ser injusto, mas o que acontece em poucos dias, às vezes até uma única vez, pode alterar o rumo da sua vida inteira”
Se eu pudesse resumir esse livro em uma única palavra seria: sofrimento. Primeira vez que li esse livro tinha doze anos, então ele não foi tão impactante, já que minhas ideias não eram totalmente formadas, mas três anos depois o li novamente, e a cada página eu sentia uma dor no coração. Tentava compreender sobre a guerra no Afeganistão, do porquê do Amir não ter ajudado o Hassan, sobre como ele foi corajoso de ter ajudado o amigo no futuro, sobre tudo na verdade, esse livro é um choque de verdades.

Recomendo o livro para qualquer um, algumas cenas são difíceis de serem lidas, mas depois de algumas lágrimas conseguimos. A capa dele é simples, mas linda, ele é um livro um pouquinho extenso, porém, incrível. Quem tiver a oportunidade leia, ou assista o filme, que é 99% igual ao livro, veja o trailer clicando aqui.

E vocês, que já leram? Gostaram? E você que não leu, o que achou da trama?

Comentários via Facebook

2 COMENTÁRIOS:

  1. Oi Nicoli,já assisti o filme há muito tempo atrás,mas não li o livro.
    E assim como você,fiquei bem comovida com a história desses dois meninos.
    É uma trama dramática,densa e muito bem desenvolvida.

    Espero ainda poder ler o livro. E assistir o filme novamente.
    Você me fez lembrar de uma filme que gostei muito. ;)

    ResponderExcluir
  2. Oi! Nossa, nem consigo imaginar o impacto desse livro em ti com apenas 12 anos. Eu ficaria super chocada ao chegar na parte em que o menino é abusado mas o amigo não faz simplesmente nada. Não sei se teria estômago para ler a obra, mas ao mesmo tempo fiquei super interessada na história. Beijos

    ResponderExcluir