14 agosto 2017
♥ Sâmella Raissa ♥

Resenho de Livro #263: Boa Noite - Pam Gonçalves

Título: Boa Noite
Autor: Pam Gonçalves
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501106698
Ano: 2016
Páginas: 240
Onde Comprar: Amazon | Livraria Saraiva
Classificação:
   

Boa Noite foi escrito pela booktuber e agora escritora nacional Pam Gonçalves, e publicado pela Editora Galera Record em 2016.

Alina  sempre tivera a fama de boa aluna, boa filha e boa menina em seus anos no high school. Ao começar a faculdade, porém, ela sente a necessidade reinventar-se e procurar se destacar de formas diferentes - principalmente ao encarar o curso de Engenharia da Computação, maioritariamente dominado por homens em uma turma onde apenas ela e três outras garotas se fazem presentes como sendo do sexo feminino, então subestimado pelos rapazes. Além disso, a vida numa república de estudantes pela primeira vez causa certo choque inicial que logo é substituído por um começo singular de amizades inéditas em sua nova fase da vida como jovem adulta, que se farão presentes e necessários para ajudá-la em meio à série de desafios que ela terá de enfrentar, não apenas no âmbito acadêmico, mas principalmente ao descobrir os altos e baixos da vida como um todo, que vão muito além das festas, da bebida e da azaração constantes no campus.

Em seu romance de estreia, mais especificamente um new adult, a booktuber e agora autora Pam Gonçalves vai muito além das salas de aula e do campus universitário para abordar temas que se fazem tão presentes na atualidade. Na nova fase que começa, Alina se vê distanciando-se do aconchego e proteção de sua família e casa para encarar a vida com mais rigor e seriedade, de repente se vendo frente a frente com situações e temas que até pouco tempo atrás ela definitivamente não cogitava precisar encarar, e apesar do desejo inicialmente constante de voltar para casa, é preciso encarar os desafios para se fazer viver de verdade, e que a jornada se inicie!
“Muita gente fala que a faculdade é a oportunidade ideal para escolher quem você quer ser. E não é que já estou vendo alguma verdade nessa afirmação? Minhas aulas nem começaram, mas me sinto diferente.”
Pela narrativa em primeira pessoa, é com facilidade que vamos conhecendo e nos deixando envolver pelo dia-a-dia de Alina. Sua chegada na universidade é tumultuada pela agitação tão marcante e característica da então República das Loucuras da qual começa a fazer parte, conhecendo, juntamente com o leitor, as personalidades fortes e mesmo carismáticas dos integrantes Manuela, Gustavo, Talita e Bernardo. Assim, acompanhada de uma narrativa naturalmente fluida que é a da Pam, juntamente com um elenco tão descontraído e divertido de personagens principais, não demorou até que a leitura engatasse e eu me visse devorando as páginas e capítulos em uma velocidade tão inesperada que foi uma verdadeira surpresa quando percebi faltar tão poucas páginas para encerrar à leitura. Foi uma leitura literalmente de um dia, e isso não podia ter sido mais positivo justamente para um livro de estreia. 
“Sentirei saudade, mas ali realmente não é mais o meu lugar. Eu preciso encarar a situação. Não vou deixar que as outras pessoas definam quem sou.”
Além da narrativa envolvente e fluida já citada, porém, Pam se garante mais ainda em Boa Noite ao tratar, como já falei também, sobre temas atuais e cuja importância transcende mesmo as idades e lugares. Com grande foco no emponderamento feminino, seguimos com Alina em meio à luta diária para sobreviver às zoações sofridas no curso por boa parte dos rapazes de sua turma, até casos inesperados, mas nada surpreendentes, de assédios, estupros e verdadeira subestimação da mulher no campus universitário. De repente nos vemos de frente à problemas constantes da sociedade atual e real, tão bem retratados e discutidos nesse new adult que foca não tanto em um romance, mas especialmente na construção e consequente desenvolvimento e amadurecimento de seus personagens, principalmente de Alina, que alia seu desejo de se fazer notar mais com a chance de fazer alguma diferença no campus e correr atrás daquilo em que ela acredita.

A minha única ressalva fica por conta da finalização um tanto quanto rápida demais nos últimos capítulos, que avançam e terminam de uma forma que, apesar de boa, ainda me deixou uma impressão vaga de que poderia ter sido melhor desenvolvida e finalizada. Apesar disso, porém, é com maestria que Pam Gonçalves se lança na literatura nacional, e mal posso esperar por ler mais histórias suas e acompanhar ainda mais sua consequente evolução ao longo de cada novo livro. Leitura muitíssimo recomendada, com certeza!

Comentários via Facebook

1 COMENTÁRIOS:

  1. É, encarar novos desafios,principalmente por quem estava cercada de proteção e afeto perto da família ,não deve ser nada fácil!
    Principalmente em um ambiente predominantemente masculino.
    Pelo que li,a personagem terá que enfrentar preconceitos e situações mais sérias ainda.
    Acho que livros assim são positivos , para que os jovens percebam que nem tudo é festa!

    Lembro bem assim que esse livro foi lançado. E li ótimos comentários como os seus.

    Quem sabe eu ainda leia?
    Espero que sim! :)

    ResponderExcluir