01 maio 2017
Haianne Thompson

Top 6: Homenagem ao Dia da Literatura Brasileira!

Quem ai sabe o que comemoramos no dia de hoje, além do Dia do Trabalhador? O dia 1º de Maio foi instituído como o Dia da Literatura Brasileira, e tem como objetivo homenagear os escritores no nosso tão querido país. Esse dia foi escolhido por ser o aniversário de um dos autores mais importantes do Romantismo Brasileiro, José de Alencar. E, nós, colunistas do blog Leitora It, como bons leitores que somos, não poderíamos deixar passar em branco esse dia. Assim, escolhemos alguns livros de autores nacionais que nos marcaram de alguma forma.


Falou em livro nacional, por mais romântica incorrigível que eu seja, é inevitável lembrar primeiro dos livros incríveis de fantasia que descobri no acervo brasileiro. Nesse caso, o da Lhaisa Andria, A Vilashi e os Dragões, primeiro livro da série Almakia, é um dos meus queridinhos desde 2014. A leitura inicial começou de forma tão despretensiosa, mas avançou de tal forma surpreendente e envolvente que terminei a leitura tão impactada por ela quanto esperei à princípio. Desde o enredo, muitíssimo bem construído em um universo que, apesar de fictício, é tão bem criado e desenvolvido cuidadosamente pela autora que chega quase a ser real, até os personagens com personalidades ímpares, mas igualmente fortes e que amadurecem verdadeiramente ao longo de sua jornada, está aí uma leitura que me pegou de surpresa muito positivamente e que recomendo sem dúvida alguma!




2. Fortaleza Negra (#01 Série Fortaleza Negra) - Kel Costa (Dica da Glaucia)

Fortaleza NegraFortaleza Negra é o primeiro livro de uma trilogia de mesmo nome, escrita pela autora nacional Kel Costa e publicado pela Editora Jangada. Sasha é uma garota de 17 anos, que após quase morrer vitima de um ataque de centauros e minotauros, muda-se com os pais e o irmão para a Fortaleza Negra. A Fortaleza é o reduto da realeza vampírica. Os Mestres, como gostam de ser chamados, e é composto pelos 5 vampiros mais poderosos do mundo, que agora detém o poder de governar o mundo. O pai de Sasha só fora convidado a ir morar com a família lá, por ser de grande valor aos Mestres na criação de um soro de erradicação dos centauros e minotauros. O enredo criado pela autora é fantástico! Os personagens são marcantes, os lugares bem detalhados te fazem viver a história e sentir todas as emoções que a leitura proporciona. Fora as tiradas cômicas da personagem principal, que vem para quebrar o gelo nos momentos mais excruciantes. Não canso de elogiar, pois a Kel nasceu com O talento para escrever. Sério! Melhor do que eu falar é vocês correram para adquirirem um exemplar e verem/leram por si mesmos.


Nesse romance brasileiro, publicado pela editora Novo Conceito e escrito pela autora Marina Carvalho, vemos como a estudante de direito, Ana Carina, descobre a verdade sobre seu pai. Durante toda a sua vida ela achou que seu pai havia abandonado sua mãe durante a gravidez e tivesse fugido, por puro medo. Acontece que além de descobrir a verdade sobre seu pai, ela também descobre que possui sangue real e que é a única herdeira do trono de um pequeno país chamado Krósvia. Durante toda a adaptação de se mudar para um novo país, ela conhece Alex, o enteado de seu pai, e os dois começam a partilhar sentimentos um pelo outro, apesar de nenhum dos dois querer admitir a verdade. Essa é uma história muito gostosa de ler, por possuir uma narrativa fácil e cativante. O desenrolar do livro nunca fica entediante, pois sempre há novas descobertas, e a linguagem? Bom, é simplesmente maravilhosa. Confesso que a protagonista pode ser um pouco chata, mas isso não chega a ser um empecilho para a obra. A autora conseguiu realizar um ótimo trabalho ao escrever o livro. Simplesmente Ana e o primeiro livro da trilogia Simplesmente, e já foi resenhado aqui no blog!

4. Senhora – José de Alencar (Dica da Nicoli)

“Senhora” é um romance escrito por um dos maiores escritores do nosso país, José de Alencar. O livro foi publicado em 1875 mas continuar despertando a atenção dos leitores de diversas épocas. Devo confirmar que li esse livro como “obrigação” no ensino médio, mas eu o amei de todo o meu coração e nunca o esquecerei. Ele encanta as pessoas de todas as formas possíveis, lendo-o você passar por um looping de sensações e sentimentos, começa a odiar um personagem e amar outro, mas no final tudo se encaixa e acabamos a história com um sentimento de dever cumprido. Recomendo a leitura para qualquer idade que ame um nacional raiz. 










Apesar de ainda não ter tido a oportunidade de ler o original dessa importante obra da literatura brasileira contemporânea, escrita pelo amazonense Milton Hatoum, li no final do ano passado a adaptação em História em Quadrinhos, feita pelos irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá. O texto de Hatoum, lançada em 2000 conquistou o 3º lugar do prêmio Jabuti, na categoria romance. Já a adaptação dos irmãos gêmeos Moon e Bá, ganhou em julho do ano passado na Califórnia, o prêmio Eisner na categoria Melhor Adaptação de Outro Meio, sendo esse o segundo Eisner na carreira da dupla de irmãos. Com ilustrações todas em preto e branco, a obra é bastante rica e tem como cenário o Amazonas da década de 50, mais ou menos. A história contada é a dos irmãos gêmeos Yaqub e Omar e sua rivalidade desde a infância, que acarretou em diversas desavenças e conflituosas situações para os pais libaneses, a predileção da mãe Zana pelo mais novo Omar, o ciúmes do marido Halim, a solteirisse da irmã mais nova Dália, a servidão da orfã Domingas... Tudo isso narrado pelo filho de Domingas, Nael.


Quando penso em literatura nacional, alguns autores vieram a minha mente, alguns contemporâneos e outros nem tanto. Como, graças a Deus, temos um universo amplo para escolher, eu resolvi indicar para vocês um dos primeiros romances que li e que foi o precursor para mim nesse gênero tão maravilhoso. A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, foi indicado a mim no ensino médio por minha professora de literatura por ser considerado uma literatura de fácil compreensão. A obra, tida como o primeiro romance brasileiro, vai retratar a historia de dois protagonistas que se conhecem no período de férias Augusto e Carolina. Ele, um namorador inveterado, aposta com os amigos que não se apaixonaria por ninguém e que, caso perdesse a aposta, teria que escrever sua historia contando sobre esse romance. Ela, uma jovem que, apesar de saber da fama de Augusto, acaba vendo mais do que todos veem não o desprezando. Porém, mesmo se encantando um pelo outro, podem não ficar juntos por promessas e segredos feitos por ambos durante a infância. Sei que o romance é considerado “água com açúcar”, mas eu indico essa leitura para aquele dia em que precisamos de coisas leves e que nos façam acreditar no amor verdadeiro e no “felizes para sempre”.

Comentários via Facebook

2 COMENTÁRIOS:

  1. Oi, adorei essa homenagem à Literatura Brasileira.
    Temos tantos bons autores que precisam ter o seu trabalho reconhecido, como também não devemos esquecer dos escritores antigos, como por exemplo Jorge Amado, que é um dos meus favoritos.

    Já li há um bom tempo atrás o livro A Moreninha. E infelizmente não lembro muito da história. Vou tentar reler.
    Tenho muita vontade de ler uma as indicações que nos mostrou, como por exemplo Simplesmente Ana e principalmente Fortaleza Negra.


    Adorei a postagem!

    ResponderExcluir
  2. Haianne Thompson22 de maio de 2017 23:12

    Janaina,
    eu também li "A Moreninha" há muito tempo atras e reli recentemente...Agora que estou mais madura na leitura, ela acabou sendo beeeeeeeeeeem rápida de ser feita e, como eu disse, é aquele romance beem fofo e água com açucar sabe? E leia as indicações dadas pelas colunistas sim.. você vai amar e ver o tanto que nossos autores tem amadurecido :D

    beeijos :*

    ResponderExcluir