30 maio 2017
♥ Sâmella Raissa ♥

Resenha de Livro #241: Mentira Perfeita - Carina Rissi

Título: Mentira Perfeita
Autor: Carina Rissi
Editora: Verus
ISBN: 9788576864585
Ano: 2016
Páginas: 462
Onde Comprar: Amazon | Livraria Saraiva
Classificação

Mentira Perfeita foi escrito pela autora nacional Carina Rissi e publicado pela Editora Verus.

Foi em 2013 que eu tive meu primeiro contato com um livro de Carina Rissi. Procura-se um Marido acabou se tornando meu queridinho particular da autora, mesmo após ler Perdida no ano seguinte, mas ambos os livros, cada um a seu modo, foram leituras igualmente divertidas, com narrativas deliciosas e envolventes, com personagens mais cativantes ainda, e após mais ou menos dois anos sem ler nada dela de novo, eu estava mais do que ansiosa para voltar ao universo da Carina e seus personagens e me divertir de novo, então já que acatei a oportunidade de leitura de Mentira Perfeita, primeiro lançamento da autora em 2016. E ainda que não tenha se tornado um favorito ao mesmo nível que o primeiro lido dela, o spin-off de Procura-se um Marido conseguiu ser mais uma leitura divertida e apaixonante com participações de personagens já conhecidos e queridos, e sendo protagonizado por uma dupla quase tão encantadora quanto Alicia e Max e Sofia e Ian.

Em Mentira Perfeita, Carina nos apresenta à Júlia Muniz, então estagiária do setor de tecnologia da informação na L&L Cosméticos, agora dirigida também por Alicia. Sua vida segue em ritmo pacato convivendo unicamente com o melhor amigo Dênis e uma tia, também tida como mãe adotiva, Berenice, que, no entanto, sofre de sérios problemas cardíacos e passa por mais uma parada cardíaca já no primeiro capítulo, precisando urgentemente de um transplante de coração. Enquanto um doador não aparece, porém, ela segue visivelmente frágil, apesar da personalidade teimosa e extrovertida, mas constantemente preocupada com o que será do futuro pessoal e amoroso da filha que só vive para a mãe e o trabalho. Tudo isso acaba por culminar, inesperadamente, numa mentira contada por Júlia para tranquilizar a mãe que pensava já estar partindo. Berenice acaba surpreendendo a todos, porém, ao recuperar-se e seguir acreditando na mentira contada por Júlia, que agora tem de arranjar não apenas um namorado, mas um futuro noivo, a partir do momento em que Berenice confessa ter contratado o casamento dos sonhos para a moça, que se verá confrontando sua própria vida amorosa há muito tempo inexistente e ignorada por ela.

É por meio dela que voltaremos a ter contato com outro filho queridinho dos Cassani, o Marcus, irmão caçula do Max de Procura-se um Marido, e desesperado por ganhar sua independência, enfim, saindo do apartamento do irmão e da cunhada para viver por conta própria. A deficiência adquirida após um acidente que o deixou paraplégico, no entanto, é obstáculo para os pais super protetores que temem que o filho se meta em alguma enrascada, e é dado o veredito: ele precisa de um cuidador se quiser se mudar, e ao passo que Júlia também precisa de um noivo em potencial, eles acabam se conhecendo através dos amigos e unindo forças para ajudar um ao outro numa empreitada inusitada, onde eles vão descobrir o preço e as consequências a se enfrentar diante de mentiras aparentemente inocentes que ganharam proporções maiores do que eles esperavam.
“— Você é a mulher mais forte que eu conheço.
Eu ri sem humor algum, limpando o nariz nas costas da mão.
— Bom, não é o que parece agora.
— Até os mais fortes tem seus momentos de fragilidade. Ninguém aguenta bancar o durão a vida inteira. É preciso se entregar à fraqueza de vez em quando, para poder conhecer o tamanho da sua força.”
Assim como o original que possibilitou esse spin-off, a história de Júlia e Marcus, como marca registrada de Carina Rissi, é envolvente, divertida, apaixonante e por vezes, até, emocionante. Os protagonistas são cativantes e intensos assim como todos os seus personagens anteriores, e eu diria até que Júlia se aproximou muito de tornar-se uma das minhas personagens femininas favoritas do ano. Apesar do jeito tímido e tranquilo por fora, à medida que a história se desenvolve conhecemos melhor a protagonista e suas facetas diversas, desde seu alto profissionalismo e inteligência ao lidar com problemas técnicos no computador ou mesmo no videogame, até seus momentos mais sensíveis e amorosos, principalmente em sua relação com Berenice, que muito me encantou e emocionou por tamanha sinceridade e dedicação com que ela trata a mãe, que apesar de não ser biológica, é tudo para ela, e vice-versa. 

Marcus, por sua vez, também foi outro personagem encantador. O jeito meio de moleque brincalhão e galanteador apresentado anteriormente em Procura-se um Marido continua, mas agora como protagonista temos a chance de conhecer outras facetas mais profundas e um tanto quanto escondidas do personagem, como o carinho e preocupação reais que ele tem por aqueles que ama, como sua família e mesmo os amigos mais próximos, bem como seus momentos de vulnerabilidade e insegurança perante a luta diária que é viver, agora, como cadeirante e os pequenos obstáculos enfrentados por essa deficiência em seu dia-a-dia. Ainda que o Max continue a ser meu mocinho favorito da Carina, Marcus me surpreendeu muito e conseguiu, sim, chegar muito perto do irmão em minha colocação. Assim, o romance segue em ritmo gradual, acontecendo aos poucos para os personagens que, antes de tudo, conhecem um ao outro e percebem que, apesar de alguns eventuais altos e baixos, eles não eram tão diferentes assim.
“— Vocês estão apaixonados — ela murmurou. — Tudo vai se acertar. Essa rusga vai passar. Não quer me contar o que aconteceu? Talvez eu possa ajudar.
— Nós não estamos na mesma página. — Foi toda a verdade que consegui manejar.
— É natural. E essa não vai ser a última vez que vocês vão entrar em conflito. Essa é a graça da vida a dois. Imagine que chatice deve ser conviver com alguém que concorda com você em tudo. Credo!”
Com uma carga um pouco dramática em relação aos anteriores, porém, Carina leva seus novos protagonistas a viverem uma trama onde aborda, consequente e constantemente, de forma leve, mas não menos firme, questões como deficiências e a consequente inclusão dessas pessoas na sociedade e no dia-a-dia em geral, assim como, novamente, relações familiares, tanto entre pais e filhos, como entre irmãos, surgindo uma brecha inclusive para falar sobre aquelas famílias unidas não propriamente pelo sangue, mas pelo coração, como a adoção de Júlia por parte de Berenice. Temas extras como esse acabam por elevar um pouco os livros da autora a não apenas chick-lits, como romances propriamente densos, mas igualmente leves, com personagens das mais variadas personalidades e características com as quais todo leitor poderá se identificar de alguma forma, e com mensagens e reflexões por vezes importantes e partes da nossa realidade e com as quais, cedo ou tarde, temos que encarar. É mais um aspecto de que gosto muito em seus livros e que me faz recomendá-los mais ainda para todos!

No meio de todo esse romance e temas importantes, também, a autora também dá uma oportunidade interessante para um pequeno suspense já a caminho do desfecho da história. Sob a responsabilidade de desenvolver e programar o site oficial da LeL, Júlia e seu colega, também estagiário, Ivan, acabam por se deparar com uma série de bugs no sistema, ocorridos de forma repentina, mas suspeita, que deixam a carreira de ambos em visível risco por não saberem quem está por trás disso. Nesse ponto, a autora desenvolve um mistério que, apesar de pequeno e visivelmente breve, instiga a leitura e o leitor, que quer respostas assim como os personagens, e quando a verdade vem à tona, por mais que eu tenha tido algumas leves desconfianças no início, em alguns momentos específicos, não deixou de me surpreender por, anteriormente, ter sido interpretado de uma forma mas ter se revelado como sendo outra. Uma sacada interessante da autora para inserir certas grandes emoções no final, mas ainda devidamente coerentes com tudo ocorrido antes na narrativa.

Assim, concluo, com mérito, mais uma incrível obra de Carina Rissi, que vai além do simples objetivo de entreter o leitor para envolvê-lo e surpreendê-lo na medida certa com um romance leve e apaixonante dotado de personagens cheios de muita personalidade e atitude, mais as abordagens certeiras sobre temas tão atuais. Mais uma vez a autora me conquistou, ainda que não tenha se tornado um favorito, e espero continuar a ler mais e mais obras suas e gostar de todas elas, hehe. Leitura mais do que recomendada, seja para os fãs de um bom chick-lit ou romance, como, também, simplesmente para quem quer algo divertido e com direito a muitos suspiros apaixonados!

Comentários via Facebook

1 COMENTÁRIOS:

  1. A cada nova resenha que leio dos livros de Carina Rissi, fico cada vez mais curiosa em poder ler suas histórias.
    Achei diferente e linda a ideia da autora de criar um personagem com deficiência. Afinal, a vida real não é feita de pessoas " perfeitinhas" como vemos em muitos livros.E é sempre bom discutir sobre assuntos diferentes.
    Assim como também adoraria conhecer a Júlia, uma personagem cheia de personalidade.

    Ótima resenha! :)

    ResponderExcluir