16 março 2017
♥ Sâmella Raissa ♥

Resenha de Livro #220: De Olhos Fechados - Lavínia Rocha

Título: De Olhos Fechados
Autor: Lavínia Rocha
Editora: D'Plácido
ISBN: 9788567020891
Ano: 2014
Páginas: 253
Classificação
   

Desde pequena Cecília sabe o que é viver no escuro - afinal, é cega de nascença. Mas tal deficiência nunca empatou a garota de ser ela mesma. Com seu jeito teimoso e eventualmente irônico de agir e falar, o que ela mais quer alcançar cada vez mais é independência para viver ainda mais novas experiências, o que acaba começando de forma um tanto quanto inusitada e atrapalhada ao conhecer Tiago, recém-chegado no colégio onde ela estuda, já se encantando pela garota e engatando em uma amizade da qual nem ela, com toda sua teimosia, poderá escapar. E a partir do momento em que a confiança entre ambos surge, acompanhada de novos sentimentos, a aventura se dará início com uma série de mensagens estranhas e misteriosas que Cecília anda recebendo aleatoriamente, e que podem trazer revelações e englobar questões maiores do que eles imaginam.

Já tinha muito tempo que eu queria conhecer os livros da Lavínia, desde que havia descoberto este como sendo protagonizado por uma personagem com deficiência visual. Não sei se vocês sabem ou se eu já comentei por aqui, mas gosto muito de histórias com essa temática, principalmente se fazem uma apresentação real e cheia de superação do personagem, ultrapassando suas limitações, o que é bastante o caso de De Olhos Fechados. Cecília é uma personagem que desde o primeiro momento, apesar de às vezes ser um pouco arredia e irônica, cativa o leitor de um jeito único, fazendo a leitura fluir de forma ainda mais rápida e leve.
“— Eu sinto a falta dela, Luna. E você sabe que isso que sentimos quando pensamos nela nunca vai passar. É uma ferida. Mas nós ainda estamos vivas, com o mundo à nossa espera, não podemos fechar as portas para a felicidade que quer entrar.
— Que ela entre pela janela.
— Acontece que as suas janelas estão fechadas também.”
O início é mais uma apresentação do cotidiano da personagem, por entre o colégio, com os melhores amigos Bianca e Diego, a chegada de Tiago e a vida em casa, com o pai super-protetor e a irmã caçula Luna, de quem tem sido o modelo quase materno da família desde a morte da mãe há alguns poucos anos. Desde então, ela já recebia papéis aleatórios cujas mensagens misteriosas já confundiam sua mente, mas ela só vai dar real atenção à elas após sua amizade com Tiago se firmar ainda mais e ele próprio incentivá-la a descobrir o que os papéis significam, uma vez que elas começam a ficar ainda mais ameaçadoras conforme o tempo vai passando, deixando um tom de suspense e mistério na narrativa que só aumenta à medida que eles passam a procurar pistas dentro das charadas contidas nas mensagens, descobrindo, porém, que tudo só é mais perigoso do que eles achavam à princípio.


É assim que a trama vai ganhando nuances, ora cenas mais leves e descontraídas em família e amigos, ora com momentos mais tensos e cheios de adrenalina por entre as escapadelas dos personagens para correr atrás de pistas e descobrir o que tudo significa. E, gente, eu definitivamente não esperava nada do que esse mistério todo reservava à sua revelação; a autora, no fim das contas, trabalha com um plot tão diferenciado e intrínseco, mas igualmente bem desenvolvido e coerente com a história que, realmente, meus parabéns à Lavínia! De repente as coisas se revelam como algo tão único, ao menos para mim, que não tive como não me surpreender e me satisfazer com o desfecho da história, que conseguiu encobrir até mesmo um pouco das visíveis cenas no decorrer do livro como um todo que transcorreram ou mudaram de uma para outra de uma forma muito abrupta, mas que não atrapalharam realmente a leitura.

Assim sendo, De Olhos Fechados conclui-se como uma leitura que leva o leitor das risadas à tensão, dos suspiros às revelações mais inesperadas, com um elenco de personagens muito cativantes e divertidos, mais um romance que me deixou toda boba e com o qual eu tanto me identifico, além de uma protagonista que, por entre seus defeitos e qualidades, destaca-se por ser simplesmente humana, e por procurar ir além de suas limitações! Uma leitura que eu recomendo demais, e mal posso esperar por ler mais da autora!

Comentários via Facebook

3 COMENTÁRIOS:

  1. Oi Sâmella,achei essa história orginal. Acredito que seja pelo fato da personagem principal ser deficiente visual, mas viver de forma descontraída,sem ser amarga ou anti- social.
    E lendo a resenha ,fiquei ainda mais encantada com o livro ,por ter um certo mistério e suspense na trama. Não fica apenas uma história centrada nos problemas normais da idade.
    Espero ler e me surpreender com esse livro também.

    ResponderExcluir
  2. Marília Leocádio Lourenço16 de março de 2017 09:24

    Me pareceu uma historia muito linda, mesmo a protagonista sendo teimosa acho que esse romance já conquista bastante os leitores com personagens super cativantes, acho que seja uma leitura super agradável e emocionante, adorei a resenha e esse livro já me conquistou.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. marlene conceiçao18 de março de 2017 15:46

    OI.
    Que premissa mais interessante, confesso que não daria nada a essa capa, porém não posso dizer o mesmo da história.
    Gosto quando o livro tem esses momentos mais interessantes, e cheios de ação e saber que esse livro tem isso e momentos descontraídos também me conquistou.
    Esse vai para minha lista com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir