02 janeiro 2016
Profª Nara Dias

Resenha de Livro #192: Como Eu Era Antes de Você - Jojo Moyes

Título: Como eu era antes de você
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573299
Ano: 2013
Páginas: 318

Classificação


O livro Como Eu Era Antes de Você, publicado no Brasil pela Editora Intrínseca, foi escrito pela inglesa Jojo Moyes. Para 2016, temos duas ótimas notícias. Será lançado a continuação dessa história: Depois de você. E também a adaptação cinematográfica desse primeiro livro.
Depois de ler muitos comentários positivos a respeito dos livros dessa escritora, assim que tive a oportunidade, não deixei de separar um tempo para iniciar minha primeira leitura. 

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vida ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego.

"-Ela é uma garota inteligente. Vai achar alguma coisa. Tem um currículo consistente, não tem? Frank vai escrever uma boa carta de referência.
- Ah, grande coisa... "Louisa Clark é muito boa em passar manteiga na torrada e excelente com o velho bule de chá."

"-...O que você quer ser? Poderia ser esteticista. É bonita o bastante.
... - Você conhece minha rotina de beleza. Água, sabão e um saco de papel enfiado na cabeça."

Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.

"Reparei que ele parecia determinado a não lembrar em nada o homem que tinha sido; deixara seu cabelo castanho-claro crescer em uma bagunça disforme e a barba por fazer se espalhava sobre o rosto. Seus olhos cinzentos tinham marcas de cansaço, ou do desconforto que ele sentia quase o tempo todo. Eles levavam o olhar vazio de alguém que está sempre alguns passos afastado do mundo ao seu redor."

A sinopse cativou minha atenção e não tive dúvidas, queria muito iniciar a leitura. Depois disso, fiquei impressionada pelo fato de que o prólogo e o capítulo um, me fizeram querer devorar cada página e essa sensação me perseguiu até o final do capítulo 27 e epílogo.

A história é contada quase que integralmente pela querida Louisa Clark, não consigo imaginar alguém que não goste dela, e a primeira vez que sua narração é interrompida, sendo o 8º capítulo narrado por Camilla Traynor, mãe de Will, me senti extremamente incomodada. Porém, no decorrer do texto, fui me tranquilizando com outras interrupções, já que essa foi a melhor forma encontrada pela autora, para nos possibilitar detalhes que não seriam possíveis sob a visão de Lou.

Impossível não se apaixonar por Louisa Clark e Will Traynor, o modo como começam seu relacionamento profissional, discussões, até uma amizade e interesse mútuo sincero.

"Olhei para ele, o coração batendo acelerado. - Seus amigos receberam um tratamento de merda. Ótimo. Eles provavelmente mereciam. Mas eu estou aqui todos os dias apenas tentando fazer meu trabalho melhor que posso. Por isso, eu ficaria muito satisfeita se você não fizesse da minha vida algo tão desagradável, ao contrário do que você faz com a vida de todo mundo."

O livro aborda temas extremamente interessantes e polêmicos, deficiência, acessibilidade, eutanásia, suicídio, conflitos familiares, desemprego, dificuldade de recolocação no mercado de trabalho por falta de ter uma profissão ou por já ser mais velho...

"Há coisas que você não percebe até acompanhar uma pessoa numa cadeira de rodas. Uma delas é como a maioria dos calçamentos é malconservada, com buracos mal remendados ou desnivelada."

Muitas vezes, traumas do passado alteram nossos planos no futuro, atrapalhando todo nosso desenvolvimento pessoal. Os personagens de Jojo, ensinam a importância de se ter objetivos pessoais à conquistar. Tudo isso é mostrado em um romance bem elaborado, de forma, muitas vezes divertida, mas extremamente profunda. Deixa claro que dinheiro não proporciona saúde, nem felicidade.  E que amigos, família e um amor verdadeiro são nossos bens mais preciosos. 

"Às vezes, Clark, você é a única coisa que me dá vontade de levantar da cama."

Comentários via Facebook

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário