28 janeiro 2015
molecade20

Resenha de Livro #149: Amber House - Kelly Moore, Tucker Reed, Larkin Reed

Título: Amber House (#01 Trilogia Amber House) 
Autor: Kelly Moore, Tucker Reed, Larkin Reed
Editora: Jangada
ISBN: 9788564850408
Ano: 2013
Páginas: 352
Tradutor: Martha Argel
Classificação

Amber House é o primeiro livro da trilogia que leva o mesmo nome. Foi escrito por Kelly Moore, juntamente com suas filhas Tucker e Larkin Reed. No Brasil, Amber House é uma publicação da Editora Jangada.

Sarah Parsons, nossa protagonista, descende de uma família que sempre viveu em uma casa antiga, chamada Amber House. Entretanto, jamais havia pisado no lugar, muito menos imaginado como seriam seus amplos salões, ou seu jardim majestoso. Com o falecimento da avó, a garota parte para Maryland em companhia da mãe e do irmão mais novo, Sammy, que é autista.

A família resolve passar algum tempo na casa, já que Anne, a mãe de Sarah, pretende organizar tudo para vender Amber House. Com a permanência no lugar, a garota conhece Richard, o filho do senador que faz ela se sentir maravilhosa, e Jackson, um cara misterioso que propõe uma caça aos supostos diamantes perdidos do capitão. Sarah descobre, assim, que a mansão cheia de cômodos misteriosos e passagens secretas não é uma construção qualquer, mas uma verdadeira caixa de lembranças, onde qualquer objeto que seja tocado evoca uma cena do passado. 

Por meio de suas visões, Sarah passa a conhecer os segredos mantidos nas paredes de Amber House. Porém, em sua busca por respostas sobre o que aconteceu com seus parentes distantes e com os mais próximos, ela põe em perigo a pessoa que mais ama, correndo o risco de perdê-la para sempre nas teias confusas do passado.

Confesso que não me animei muito para ler Amber House, sempre tenho certo preconceito com livros escritos por mais de um autor. Diferente de outros que li, Moore e suas filhas conseguiram unir suas ideias, não deixando aquela impressão de que uma cena foi escrita por fulana e a outra por ciclana. A casa é descrita em tantos detalhes que se torna fácil imaginá-la e sentir vontade de conhecê-la. E, claro, não poderia deixar de aplaudir Sarah, uma das protagonistas mais fortes e gentis que conheci. Em nenhum momento ela lamentou o fardo que recebeu, e seus cuidados com o irmão demonstram o quão bondosa ela é. Estou ansiosa para ler os próximos livros e conhecer o desfecho da história.

Comentários via Facebook

1 COMENTÁRIOS:

  1. Li esse livro em 2011 (ou 2012, não me recordo), quando ainda não era febre, e me lembro que foi uma leitura maravilhosa. Particularmente, adoro livros que abordem temas mais "pesados" e a ideia da autora de abordar algo tão forte, tão desastroso como o câncer pela visão de uma criança me encantou.

    Como você disse, palavras não fazem justiça a tudo o que é sentido durante a leitura.

    Beijos

    Vidas em Preto e
    Branco

    ResponderExcluir