15 agosto 2012
Glaucia Matos

||It Entrevista|| Carol Sabar

Essa semana, a entrevista foi com a autora Carol Sabar, espero que curtam!


Carol Sabar formou-se em Engenharia de Produção, mas o amor pela literatura falou mais alto. Para ela, escrever é viver muitas vidas, experiências que jamais sonharia em ter. É autora do livro Como (quase) Namorei Robert Pattinson! Confira na íntegra a entrevista que ela gentilmente concedeu ao Leitora It.

Site: carolsabar.com.br
Twitter: @CarolSabar
Skoob: Página da autora
Facebook: /carolsabar

1. Defina em poucas palavras, quem é a Carol Sabar:

Tenho 28 anos, sou mineira de Juiz de Fora, onde sempre morei. Sou observadora, detalhista, curiosa, perfeccionista, viciada em internet. Gosto das manhãs e do inverno. Amo café, capuccino, pão de queijo, biscoito de polvilho, comida japonesa. Adoro conversar, viajar, ler, ouvir música (mil vezes a mesma música), assistir a seriados. Adoro viver. 

2. Quando surgiu o interesse em passar de Leitora para Escritora

Sou engenheira e nunca tinha pensado concretamente em ser escritora. Apesar disso, sempre escrevi para passar o tempo, nada com muita pretensão. E, claro, sempre gostei de ler (é muito difícil eu sair de uma livraria sem uma sacolinha). Quando comecei a escrever Como (quase) namorei Robert Pattinson, eu me viciei no processo criativo, na sensação de poder brincar com o que não existe, mas poderia existir. É muito gostoso ver a trama se delineando, ver as personagens ganhando vida. Escrever é trabalhoso, às vezes desesperador, principalmente quando bate aquele pânico da tela vazia. Mas é o maior barato! 

3. Como (quase) Namorei Robert Pattinson, é sua primeira obra publicada, conte-nos um pouco sobre ela. E como está sendo a sua reação, diante do sucesso que seu livro tem causado? 

“Como (quase) namorei Robert Pattinson” é a história da Duda, uma garota viciada em “Crepúsculo” e que vai para Nova York, para uma temporada de estudos. Na cidade que nunca dorme, Duda começa a fazer planos mirabolantes para conhecer Robert Pattinson pessoalmente. Só que sua vida acaba ganhando um novo rumo, uma nova obsessão, quando ela conhece Miguel Defilippo, seu vizinho, que é a cara do ator de Hollywood. Miguel é lindo, rico, educado, apaixonante. Mas é muito, muito misterioso, e vai deixar a vida e o coração da Duda de pernas para o ar! É um livro engraçado, com pitadas de suspense e muitas (muitas!) reviravoltas. Eu adoro escrever para o público jovem, adoro essa recepção sincera que só o jovem tem. É uma delícia ver o entusiasmo dos leitores. O livro já tem até fã-clube! Mal pude acreditar quando vi! 

4. Já tem planos para a publicação de um novo livro? Se sim, poderia nos contar um pouco sobre a obra? 

Sim! Estou terminando meu segundo livro! Outro chick-lit. O casal protagonista é tão fofo! Acho que as mais românticas vão gostar. 

5. Sabemos que a publicação de livros em âmbito nacional, não é tarefa fácil! Como foi para você, esse processo? 

Terminei o livro, revisei, revisei, revisei, escrevi cartas de apresentação e mandei o livro para as agências literárias. O processo foi normal. Acho que a única diferença é que tive uma resposta rápida. A Editora Jangada se interessou pelo livro logo de cara. Foi uma empatia instantânea. Tive sorte de encontrar pessoas tão boas e competentes pelo caminho. 

6. Sei que todos perguntam, mas como se dá o processo de criação de seus livros? Algum escritor em quem você gosta de se inspirar, vivências reais ou tudo é processo da sua imaginação? 

O bacana de escrever é poder experimentar muitas vidas. É claro que, de vez em quando, uma situação inusitada que eu tenha vivido acaba me inspirando. Mas, na maioria das vezes, eu deixo a imaginação me levar. Foi o que aconteceu com “Como (quase) namorei Robert Pattinson”, pelo menos no início... Fui guiada pela emoção e apenas por ela. Eu me apaixonei pela ideia e me deixei levar. Quando terminei o primeiro capítulo, eu parei e pensei em como a história terminaria. Precisava ter certeza de que ia gostar do destino antes de traçar planos para chegar até ele. Criei um esboço de capítulos, nada muito detalhado porque, em minha opinião, uma das poucas maneiras de um escritor avaliar o potencial de envolvimento de sua história (já que o ineditismo dos acontecimentos se perde assim que o final é definido), é o elemento surpresa. É, por exemplo, saber que uma personagem precisa falar sobre um determinado assunto em uma determinada cena, mas deixar que o diálogo se desenvolva pelo calor do momento. É o único instante em que consigo me emocionar a ponto de pensar: “Sensacional! Até arrepiei!”, mesmo que o texto não esteja perfeito e precise ser trabalhado depois, esculpido palavra a palavra. 

Mas, avançando na escrita de “Como (quase) namorei Robert Pattinson”, as personagens foram ganhando autonomia e, claro, se recusaram a passar por muitos caminhos planejados. Não forcei a barra, não briguei com as personagens. Simplesmente alterei os caminhos até chegar ao final previamente idealizado. 

7. Para finalizar, agradeço sua parceria com o Leitora It, e o seu interesse em aceitar participar dessa entrevista. Muito sucesso para você e suas obras. Parabéns e muito obrigado! 

Foi um prazer conversar com vocês! Obrigada pelo carinho! Clique aqui e confira a degustação dos dois primeiros capítulos de “Como (quase) namorei Robert Pattinson”.


Comentários via Facebook

22 COMENTÁRIOS:

  1. Carol é uma simpatia! Gostei bastante da entrevista, as palavras dela são inspiração para muitos, que assim como eu, gostamos de escrever =D. Ainda não li o livro, mas agora me bateu uma vontade de conhecer a obra =D

    Bjs

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  2. Ela é muito simpática mesmo! E corre para o ler o livro, é viciante!

    ResponderExcluir
  3. Achei muito legal as respostas da Carol! Interessante que, nas entrevistas de autores que já li, nenhum é propriamente formado na área da literatura/escrita. Muito legal! Saem de diversas áreas como a própria Carol (engenharia) para entrar na arte de escrever! Eu também quero escrever meu livro mas não sei se terei força e ânimo para persistir, hehehe.

    Beijos e parabéns pela entrevista! ;*

    ResponderExcluir
  4. Só pelo nome do livro já me sinto curioso para lê-lo. A capa é tão fofinha hehe ^^ Adorei a entrevista, pelo que já vi a Carol é muito bacana mimi *--*
    http://garotoonerd.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    O engraçado é que acabei de postar no blog a resenha do livro "Como (quase) namorei o Robert Pattinson". rsrs
    Adorei a entrevista. A Carol é muito dinâmica e simpática.
    Abraço!"Palavras ao Vento..."www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  6. Oiii :) 
    Ah, a Carol é uma super fofa, nossa *-* Uma das nossas autoras que eu mais curto, atualmente! Infelizmente ainda não consegui ler o livro dela, mas moooorro de vontade, tudo que vejo dele me faz rir e suspirar, deve ser legal demais mesmo, rs. Sorte a dela ter encontrado logo uma editora que quisesse o livro e ainda mais uma bacana como a Jangada :D

    Beijos, Nanda
    Julgue pela Capa

    ResponderExcluir
  7. Oiii :) 
    A Carol é uma super fofa mesmo *-* . Morro de vontade de ler o livro dela, mas até hoje naõ consegui :(. Pena, porque tudo que leio sobre ele me faz rir ou suspirar, acho uma graça mesmo! Além de ser muito fã de Crepúsculo, kkkkkk *0* rs

    Beijos, Nanda
    Julgue pela Capa

    ResponderExcluir
  8. Olá!!

    A Carol é um amor!

    Eu sempre tive curiosidade para ler esse livro, acho engraçado esse otimismo da protagonista sendo estampado no título. -rs

    Adorei o novo visual do blog. parabéns.

    Beijos,Samantha MonteiroWord In My Baghttp://wordinmybag.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Adorei a Carol. Já tinha ouvido falar do livro, mas nunca dei muita bola, sabe? Mas depois dessa entrevista acho que vou rever a posição de "Como (quase) namorei Robert Pattinson" na minha lista de prioridades literárias. :)

    ResponderExcluir
  10. Ahhh que máximo essa entrevista!
    Sempre falaram bem do livro  da Carol Sabare adorei conhecer um pouquinho sobre ela e o trabalho de Como quase namorei Robert Pattinson!! Eu espero ler o livro, dizem que é bem divertido!

    Beijos
    Amanda
    leiturahot.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. A Carol é realmente muito simpática. e Estou louca para ler " como quase namorei Robert Pattinson" beijos e parabéns pela entrevista.

    www.amostradelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá Glaucia, Parabéns pela entrevista a Carol parece ser a simpatia em pessoa mesmo ^^ eu estou louca para ler "Como quase namorei Robert Pattinson".  Beijos da Mari

    www.amostradelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Que bom que gostou da entrevista Amanda, leia o livro sim, é bem divertido!

    ResponderExcluir
  14. Concordo com você Fernanda, a Carol é muito fofa, e o livro é muito bom!

    ResponderExcluir
  15. Oi Leandro, puxa, que coincidência hein! Obrigado!

    ResponderExcluir
  16. A capa é bem legal mesmo, e vc tá perdendo tempo em não lê-lo! =]

    ResponderExcluir
  17. Claro que tem força, é só acreditar! Também quero escrever um, mas preciso organizar minhas ideias, para depois colocar para fora, hahaha!

    ResponderExcluir
  18. Adorei Glaúcia, Como quase namorei Robert Pattinson é um livro que eu sou doidinha para ler :*

    Beijos
    http://secretsentreamigas.blogspot.com.br/ 

    ResponderExcluir
  19. Gostei muito da Carol

    O livro como (quase) até onde eu li ta perfeito!
    :D

    bjbj
    Selene Blanchard - Bacio,Moda & eu:D

    ResponderExcluir