DIY: #Potterweek Day 2/Fox
DIY: #Potterweek Day 1
Sorteio: Arraiá Literário!

Resenha de Livro #210: Os Miseráveis - Victor Hugo

Os Miseráveis
Autor: Victor Hugo
Editora: Martin Claret
ISBN: 9788572327237
Ano: 2007
Páginas: 792
Onde Comprar: Livraria Saraiva | Submarino
Classificação

Iniciei a leitura do volume 1 de "Os Miseráveis", do escritor francês Victor Hugo, publicado pela editora Martin Claret. O livro data 1862 e apesar de ter sido escrito em pleno século XIX, a linguagem utilizada é de fácil compreensão e a história do menino sem infância, sem amor e sem carinho, que roubou um pão para dar de comer aos seus irmãos mais novos e viveu desde então como forçado, trabalhando dia e noite por longos dezenove anos é cativante. Ao sair em condicional, o coração de Jean Valjean é puro ódio, e por causa de seu passado, é desprezado, maltratado e humilhado, ou seja, continua recebendo injustamente uma vida difícil de suportar. No entanto, ao se deparar com um ato de benevolência, praticado pelo bondoso senhor Myriel, bispo de Digne, o destino de Valjean é marcado para sempre.

"- O vento da noite é forte nos Alpes, deve estar com frio, não é, senhor?
Cada vez que ele dizia a palavra senhor, com usa voz de suave gravidade e seu modo atencioso, o rosto do homem se iluminava. Senhor, a um condenado, é um copo de água a um náugrafo da Méduse. A ignomínia tem sede de consideração. (...)
- Padre - disse Jean Valjean -, o senhor é bom, não tem desprezo por mim. Recebe-me em sua casa. Manda acender o seus castiçais. E eu não lhe escondi de onde venho, nem que sou um homem desgraçado.
O bispo, sentado perto dele, tocou de leve sua mão.
- Poderia não ter dito quem era. Estaca casa não é minha, é de Jesus Cristo. Aquela porta não pergunta a quem entra se tem nome, mas se tem alguma amargura. O senhor sofre; tem fome e sede, seja bem-vindo! (...) Além disso, antes que me digam, vocês têm um nome que eu já conhecia. (...) ...chama-se meu irmão!"

Resenha de Livro #209: A Garota no Trem - Paula Hawkins

Título: A Garota No Trem
Autor: Paula Hawkins
Editora: Record
ISBN: 9788501104656
Ano: 2015
Páginas: 378
Tradutor: Simone Campos
Onde Comprar: Amazon | Submarino | Livraria Saraiva| Lojas Americanas
Classificação:

Ao receber em mãos "A garota no trem", primeiro livro da jornalista britânica Paula Hawkins, publicado pela Editora Record, algumas colegas que já haviam lido recomendaram, entretanto, o que mais me chamou à atenção foi o fato de ter sido comparado ao sucesso "Garota Exemplar".

A protagonista é Rachel Watson, uma mulher vivendo seu pior momento, sem emprego, alcoólatra, acima do peso, vivendo num quarto dentro do apartamento de uma colega e que apesar de estar divorciada, mantêm o sobrenome de seu ex, Tom. Sem coragem de admitir que precisa de ajuda para se reerguer, Rachel sai de casa diariamente como se fosse trabalhar, pega o mesmo trem, tanto para ir como para voltar, no entanto anda sem rumo, bebe...

Durante esse trajeto diário, ela se distrai observando um casal "perfeito" que chama de Jess e Jason, o ponto alto de seus dias, o casal tem uma casinha próxima à linha do trem. Numa dessas indas e vindas, é surpreendida por uma cena que a deixa chocada, no dia seguinte, fica estarrecida ao saber que Jess, que na verdade é Megan Hipwell está desaparecida. Além de não saber como voltou para casa após ter visto a cena, Rachel está suja e machucada, mesmo aterrorizada por suas incertezas, decide prestar seu depoimento a respeito do que viu, mas acaba envolvendo-se de tal forma que a leitura torna-se agonizante, afinal não é uma testemunha confiável. Com seus frequentes lapsos de memória, Rachel luta por tentar desvendar o que está por detrás desses apagões.

A narração é feita por Rachel, Megan e Anna, ex-amante de Tom, atual esposa e mãe de uma menina de cerca de dois anos de idade. Cada capítulo inicia com o nome da narradora e a data em que aconteceram os fatos, às vezes isso torna a leitura um pouco confusa, porque horas a história está no presente, passado distante, passado recente... O livro é considerado um thriller psicológico, ou seja, um suspense, onde nem tudo é o que aparenta, aos poucos vamos moldando cada um dos personagens e a cada página uma nova descoberta.

No dia 22 de Setembro está prevista a estreia da adaptação cinematográfica, o trailer força um pouco na questão sexual e traz a protagonista magra e não tão acabada como descreve no livro, porém não custa conferir.
"Não sou mais o que eu era. Não sou mais atraente, acho que no fundo sou repelente. Não é só o fato de ter engordado, ou de meu rosto estar inchado de tanto beber e de dormir pouco; é como se as pessoas conseguissem ver o estrago em mim como um todo, elas veem isso no meu rosto, na minha postura, nos meus movimentos.

Não posso nem me zangar com ele, porque tem razão em desconfiar de mim. Já dei motivo para isso no passado e provavelmente vou dar de novo. Não sou uma esposa modelo. Não sei ser. Não importa o quanto eu o ame, nunca será o suficiente.

No trem a caminho de casa, ao analisar tudo o que deu errado hoje, fico surpresa por não estar me sentindo tão mal. Pensando bem, já sei por quê: não bebi ontem à noite, e não sinto vontade de beber agora. Estou interessada, pela primeira vez em muito tempo, em algo que não seja minha própria desgraça.

Eu estava aterrorizada. A lembrança não casa com a realidade, porque não lembro de raiva, de fúria. Lembro de sentir medo."

Novidades Literárias de Agosto-Setembro/2016

NOVIDADES LITERÁRIAS
Apenas editoras parceiras. Veja aqui as editoras parceiras do Leitora It.
O Coração da Esfinge A irmã da sombra Quando o Amor Bater à Sua Porta A Irmã da Tempestade As Sete Irmãs Essa Luz Tão BrilhanteA Senhora do Império As Cores Da Vida À Sua Espera Dez Formas De Fazer Um Coração Se Derreter O Guardião Um Porto Seguro O Medo Mais Profundo O Feiticeiro de Terramar Muito Amor, Por Favor A coragem de ser imperfeito A maior de todas as mágicas O Menino Que Acreditava Em Milagres Tardes Sensuais Sou Luna A Princesa da Lapa Cabeças de Ferro Amor Roxo

Netflix: séries favoritas que assisti até agora em 2016!

De uns tempos pra cá, o Netflix ganhou o coração de muita gente, e o meu, claro! Trabalho o dia inteiro fora, e é muito bom chegar em casa e poder assistir à varias séries e filmes, e o melhor, é que eles tem encrementado cada vez mais o catálogo, o que só nos deixa mais e mais felizes. Abaixo, você confere as minhas séries favoritas, que assisti até agora, nesse ano de 2016. Estão em ordem cronológica.

1. Bones:
Comecei janeiro assistindo Bones. Anteriormente, eu só havia visto alguns comerciais sobre a série na tv, e como fiquei na curiosidade sobre a mesma, resolvi me arriscar e assistir alguns episódios. O resultado, foram meses assistindo a mesma sem parar, todos os dias depois que chegava do trabalho. Andamento: T8:E13
"A série "Bones" gira em torno da Dra. Temperance Brennan, uma exímia antropóloga forense que trabalha no Instituto Jeffersonian e cujo passatempo é escrever romances policiais. Ela é chamada para ajudar nas investigações policiais de assassinato sempre que não é possível identificar a vítima pelos métodos tradicionais, seja porque o corpo está decomposto, foi carbonizado ou está totalmente desfigurado. O talento e a experiência de Brennan recaem em sua grande habilidade de desvendar as pistas ocultas que se escondem por trás do cadáver e/ou ossada das vitimas. Nesta terceira temporada, a dupla Booth/Brennan está atrás de um serial killer que assusta a cidade e toda a equipe de peritos se envolve numa investigação que promete ser uma das melhores “caçadas” da televisão."
2. Breaking Bad:
Breaking Bad foi assistido na sequência, onde eu ia revezando um episódio e outro. E claro que também gostei da série. Porque não basta assistir só uma, mas sim, acompanhar várias e não ter vida social...rsrs. Andamento: T2:E2
"O novo drama "Breaking Bad" narra a história de Walter White (Bryan Cranston), um humilde professor de química que vê sua vida se transformar quando descobre ser portador de um câncer terminal. Com um passado brilhante como pesquisador, Walter amarga agora uma terrível situação financeira trabalhando como professor em uma escola de ensino médio. Com seu modesto salário sustenta a esposa Skyler (Anna Gunn) e seu filho Walter Jr. (RJ Mitte), que sofre de paralisia cerebral. Walter fica desesperado ao perceber que sua família irá passar necessidades após sua morte e decide que fará qualquer coisa para que eles não sofram com a falta de dinheiro. Impulsionado pelo medo e por desejo de oferecer dignidade à Skyler e Jr. ele começa a usar suas habilidades em química a favor do crime, montando um laboratório de drogas para financiar seus anseios. Com uma trama intensa e emocionante a série mostra que nesse enredo não existem vilões nem mocinhos."

Resenha de Livro #208: Eu Sem Você - Kelly Rimmer

Eu Sem VocêTítulo: Eu Sem Você
Autor: Kelly Rimmer
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580415759
Ano: 2016
Páginas: 304
Tradutor: Thalita Uba
Onde Comprar: Amazon | Submarino | Livraria Saraiva | Lojas Americanas
Classificação:


Eu Sem Você, foi escrito pela autora Kelly Rimmer e, publicado no Brasil pela Editora Arqueiro.

Nesse livro, nos deparamos com uma história emocionante. Conhecemos Lilah MacDonald, uma advogada ambientalista decidida, e que odeia usar sapatos. E Callum Roberts, um publicitário que só vive para o trabalho e nada mais.
Os dois se conhecem casualmente, quando estão voltando do trabalho, e num impulso de coragem, Callum convida Lilah para sair. Depois disso, eles começam a se envolver mais, e ela mostra para ele que a vida não gira em torno apenas do trabalho. Ela o ensina a viver as melhores coisas da vida, mas de formas bem simples. 

Porém, quanto mais Lilah tenta não se envolver demais, mais ela se vê presa a Callum, e o único problema é que ela esconde um segredo muito grande. Mas por ora, ela só quer viver aquele momento.
Comecei a ler esse livro sem muitas expectativas, e quando me deparei, já estava totalmente envolvida com a história e os personagens. Li o mesmo em 1 dia.

O enredo é fácil e a leitura fluida. Cada capítulo, alterna os pontos de vista dos dois, o que ajuda a entendermos os dois lados.
É uma história muito bonita de se acompanhar, pois a autora soube dosar bem na escrita, para que nada fosse maçante. De forma simples e resumida: é uma história de amor verdadeiro em sua forma mais pura.

Vale muito a pena a leitura, principalmente pelos ensinamentos que tiramos dela.

PicBook Project: Ah, que azar!

Olá pessoal! Estou de volta com o Picbook! O Picbook Project de Agosto, tem o tema: Ah, que azar! - Um livro que o personagem principal e muito azarado.
Pois bem, o livro que eu tinha na estante veio a calhar e deu super certo com o tema: Azar o Seu!, da talentosíssima autora nacional Carol Sabar. Você confere a resenha desse livro aqui no blog.